Sabe bem ter vizinhos destes - Azores Forever

"Há poucos dias soubemos pela boca do próprio Pedro Moura, jornalista responsável pelo popular programa televisivo «Bom Dia Açores» da RTP-Açores, e também pela imprensa que se publica na Região, que este programa iria terminar no próximo dia 11 de Maio por cessação de contrato. Esta cessação decorre das radicais alterações que a (ainda) RTP-Açores vai sofrer a partir deste mês com a implementação da famigerada janela de quatro horas (ou seis ?) diárias de programação regional para horário nocturno. O programa «Bom Dia Açores» foi (e ainda é) um programa bastante eclético e interactivo, e tem sido uma companhia muito agradável nas manhãs açorianas , com repetição em diferido nos fins de tardes dalguns compactos. Desde a omipresente meteorologia - fundamental para quem vive aqui nestas ilhas dispersas ao longo do Atlântico Norte! - até a eventos desportivos, religiosos, culturais, revista de imprensa, festas, folclore, prevenção rodoviária, noticiário policial , etc., de tudo um pouco, é ventilado neste programa o que constitui um verdadeiro serviço público. Em virtude da sua emissão matinal este programa tinha e tem um público alvo muito específico e é uma companhia muito apreciada pela nossa população rural que gosta de saber de coisas doutras ilhas, do tempo que vai fazer ou mesmo acompanhar reportagens de festas, procissões e entrevistas em directo. Nesse programa, os protogonistas são sempre as pessoas comuns, aqueles que diariamente fazem os Açores e que se levantam cedo para pôr esta Região a funcionar. Infelizmente, e mercê de mais um ataque despudorado e inqualificável dos centralistas de Lisboa, este programa, e muitos outros de índole e produção regional, vão acabar. Convém lembrar que a RTP-Açores, apesar das contigências e dos propósitos politicos que presidiram à sua implantação em 1975, tem tido um papel relevante na unidade açoriana e foi indubitavelmente um veículo de aproximação, intercâmbio, consciencialização e conhecimento entre as nossas ilhas e respectivas populações. Reduzir a RTP-Açores a uma simples janela de 4 horas diárias é uma verdadeira afronta a todos os Açorianos, pois o que está em causa não são as verbas, mas um dos símbolos mais ilustrativos da actual autonomia e que desde o início vinculava o Estado Português na manutenção desta estrutura, em razão da nossa insularidade e especificidade. Este é mais um dos muitos ataques que foram feitos contra os Açores e contra os Açorianos, e muitos mais estão em preparação. Cabe a nós, Açorianos, com a superioridade moral que nos caracteriza e nos assiste, ponderar e reflectir, se faz sentido ter uma televisão falsamente açoriana, ligada e controlada por Lisboa, ou se pelo contrário a Região convida a RTP a desamparar a loja definitivamente e com isto, abrindo caminho a alterações profundas que urge iniciar. Todos nós sabemos - e a famigerada crise é pretexto para tudo e mais alguma coisa - que a RTP-mãe não tem dinheiro para a RTP-Açores e RTP-Madeira, mas tem dinheiro q.b. para programas de autêntico «serviço público», desde programas de bola e de futebol até às tantas; toiradas reais; debates com tiriricas; shows com putedo e coirões; concursos parvos, etc., etc. Que a RTP portuguesa seja muito feliz e que desapareça dos Açores o mais depressa possível, pois a partir de agora não faz cá falta nenhuma!" Tudo isso retirado daqui.

1 comentário:

paranoiasnfm disse...

Concordo com tudo o que foi dito!
No que toca ao Bom dia Açores, era (é, por enquanto) o melhor programa da RTP-Açores (a par da Prova das 9)... tenho pena que acabe. Passasse ao menos para "Boa Tarde" ou algo assim.

É ridículo aquilo que estão a fazer À RTP-A, mas sobretudo, aos Açorianos... É um sinal de desprezo grotesco. Nós não merecemos isto, muito menos os profissionais da RTP-A.

E mais... irrita-me profundamente que a RTP-A tenha custos exorbitantes (segundo o ditador Relvas), quando na verdade, basta olharmos apenas para o ordenado da CATARINA FURTADO... que, certamente, daria para pagar uma boa dose de ordenados aos funcionários da RTP-A.
Programas (como foi referido no texto) PARVOS, sem nexo, foleiros... dignos de NÃO serem chamados de "serviço público".

É pena... uma cambada de nojentos!